Um encontro de editores, críticos e leitores

Seminário com curadoria da Quatro Cinco Um e do Sesc-SP reúne oito publicações e mapeia um campo de debate efervescente dentro e fora do Brasil

Situada na zona de fronteira entre mercado editorial, universidade e imprensa, a crítica de livros não acadêmica atravessa um momento de renovação e reinvenção em todo o mundo. Criar um jornal de resenhas hoje tem o mesmo sentido que tinha cinquenta anos atrás? Quais são os impactos culturais das transformações econômicas e tecnológicas sobre as publicações independentes? Como afirmar seu valor na cultura de massas e influenciar o debate público?

Reunindo críticos, editores e leitores para dois dias de conversa, a equipe da revista Quatro Cinco Um e o Sesc São Paulo organizaram o seminário Livros em Revista (29 e 30 de novembro, no Sesc Bom Retiro), que concentra doze convidados de quatro países para um apanhado consistente sobre publicações não-acadêmicas.  

Ao longo de dois dias, o encontro reúne representantes de oito publicações — Revista Pessoa, Serrote, revista Cult, jornal Rascunho, Suplemento Pernambuco, Granta Portugal-Brasil, Piauí e a própria  Quatro Cinco Um — com  uma programação que atravessa temas como visibilidade/invisibilidade, progressismo, conservadorismo, vanguardas e minorias, procurando estabelecer conexões entre a crítica literária e algumas das principais batalhas culturais em curso  no século 21.  

“Com sete meses de existência, o evento é o momento em que a nossa revista se apresenta convidando seus iguais para debater o ecossistema em que vivemos”, sugere a editora Fernanda Diamant, que, com Paulo Werneck, é responsável pela curadoria do evento por parte da Quatro Cinco Um. Werneck enfatiza as transformações vividas na vida literária e no cânone desde o surgimento da revista Cult, a mais antiga das publicações representadas, há vinte anos. “Na nova paisagem, as resenhas vão perdendo espaço e a atividade crítica se desdobra em novas frentes, como a curadoria. Quem faz o contrapeso são as revistas independentes”.

A fim de expandir o debate em direção ao plano internacional, um crítico francês, Sébastien Lapaque, dois portugueses, Pedro Mexia e Bárbara Bulhosa, e um dos nomes de referência da crítica argentina, Damián Tabarovsky, trazem notícias da crítica literária em outros contextos, não menos afetados pelo impacto cada vez maior dos meios digitais, mas ainda às voltas com os antigos desafios da boa crítica de livros.

Livros em Revista é uma aposta na aproximação e no intercâmbio entre publicações de diferentes territórios, vertentes e tradições, revelando uma constelação complexa em um céu em movimento.

O seminário acontece nos dias 29 e 30 de novembro. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no portal do Sesc-SP (sescsp.org.br) ou nas unidades do Sesc São Paulo. Os ingressos válidos para os dois custam R$ 50 (inteira), R$ 25 (estudantes e maiores de 60) e R$ 15 (trabalhadores do comércio, serviços e turismo matriculados no Sesc-SP).

Programação

29 de novembro | quarta-feira

Mesa 1 das 20h às 22h
Livros em revista: um panorama
O país vê o espaço de divulgação para o livro diminuir, mas as publicações não acadêmicas, voltadas para o leitor intelectualizado, resistem e se renovam. Um perfil crítico de algumas delas, por seus editores e colaboradores.

Mediação
Rita Palmeira | Crítica literária

Participantes
Mirna Queiroz | Revista Pessoa
Schneider Carpeggiani | Suplemento Pernambuco
Rogério Pereira | Jornal Rascunho
Fernanda Paola | Revista Cult
Bárbara Bulhosa | Granta Brasil-Portugal

Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian

 

Coquetel das 22h às 23h
Apoio ao coquetel: restaurante Martín Fierro.

 

30 de novembro | quinta-feira

Mesa 2 das 14 às 15h30
Visível invisibilidade
Por que determinados autores e obras ficam invisíveis para a crítica? Quais critérios regem a pauta da imprensa de livros? Como se dá o trabalho de editores, jornalistas e resenhistas em face de expressões literárias de grupos tradicionalmente marginalizados, como os negros, as pessoas transgênero e as mulheres? Que contrapontos a imprensa de livros pode fazer ao mercado editorial? Um debate sobre os critérios que orientam, legitimam e promovem a visibilidade da produção literária no Brasil.

Mediação          
André Augusto Dias | Sesc-SP

Participantes
Amara Moira | crítica literária
Joselia Aguiar | curadora da Flip
Cuti | escritor, poeta e dramaturgo

 

Mesa 3 das 16h às 18h
No calor da hora
Escrita sob pressão, a crítica de jornal permanece fortemente enraizada na cultura literária argentina, mesmo sob a avassaladora cultura de massas digital. Esta mesa reúne dois críticos — formados em redações — que fizeram da resenha e do ensaio uma verdadeira intervenção cultural. Damián Tabarovsky, em sua coluna no jornal Perfil e em seus ensaios, interferiu no debate literário em toda a América Latina e na Espanha ao pôr em questão a vida literária contemporânea e seus fetiches como o jovem autor, os prêmios, as vanguardas e o sucesso internacional. O crítico carioca Paulo Roberto Pires, escrevendo no jornal e na internet, foi decisivo ao revelar novos nomes da geração surgida na virada do século, e hoje edita uma influente revista de ensaios literários.

Mediação
Francesca Angiolillo | Folha de S.Paulo

Participantes
Damián Tabarovsky | Jornal Perfil (Argentina)
Paulo Roberto Pires | Revista Serrote

 

Mesa 4 das 19h às 21h
Crítica, estética e política
Progressismo, conservadorismo, vanguardas estéticas e pensamento político estão entre os temas desta mesa, que apresenta três pontos de vista originais sobre a crítica literária e suas conexões com as batalhas culturais que vêm sendo travadas no século 21. Destaque da cena intelectual em Portugal, Pedro Mexia traz notícias do debate literário europeu e seus dilemas estéticos e políticos. As ligações entre política e análise literária também marcam a produção do francês Sébastien Lapaque, ganhador de importantes prêmios de ficção e de ensaio. Formado na tradição das revistas norte-americanas, Alejandro Chacoff faz do ensaísmo literário um posto de observação singular da sociedade brasileira. 

Mediação
Paulo Werneck | editor da Quatro Cinco Um

Participantes
Pedro Mexia | Portugal
Alejandro Chacoff | Crítico literário da revista Piauí
Sébastien Lapaque | Le Figaro (França)

Apoio: Consulado Geral da França em São Paulo/Institut Français do Brasil e Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Confirme sua presença via facebook.

Serviço